Portal de Noticias

  1. Início
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Meio Ambiente
  6. /
  7. Udesc promove seminário nesta...

Udesc promove seminário nesta segunda-feira para divulgar projeto que busca eliminar lixo orgânico de Lages

Divulgar o projeto Minicompostagem Ecológica e marcar a data para que todas as escolas públicas de Lages não produzam mais lixo orgânico são as principais metas do seminário Lixo Orgânico Zero em Lages, que o Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), realizará na manhã desta segunda-feira, 23, no Anfiteatro Caverna.

Na abertura do encontro, que começa às 8h30, o professor de Agronomia da Udesc Lages Germano Güttler apresentará o projeto, idealizado por ele e desenbvolvido no curso, que pretende deixar a cidade de Lages livre de lixo orgânico.

Além do levantamento do que já foi realizado, Güttler fará uma demonstração da viabilidade da iniciativa, que elimina o lixo transformando-o em húmus para usá-lo no cultivo de plantas ou hortaliças.

Segundo o professor, a idéia já foi adotada por quatro unidades escolares de Lages, que relatarão suas experiências durante o seminário. Os alunos desses estabelecimentos aprenderam como fazer a minicompostagem ecológica. O lixo orgânico é separado pelos alunos e professores em lixeiras diferenciadas para depois ser utilizado nos canteiros.

A meta agora é divulgar o projeto em outras 20 escolas do município, diz o professor da Udesc Lages. Nos âmbitos estadual e municipal, segundo Güttler, a causa já foi abraçada pela Secretaria Regional de Educação e pelas municipais de educação, meio ambiente e saúde.

O plano para 2014 é fazer com que todas as escolas da rede pública participem do projeto da universidade, o que envolveria cerca de 40 mil alunos.

De acordo com o professor da Udesc Lages, o lixo pode ser transformado em matéria orgânica da seguinte maneira:

  1. Separar em recipiente o lixo orgânico, como restos de comida, cascas de frutas e papel toalha usado;
  2. Depositar uma camada de 20 centímetros de lixo sobre a terra;
  3. Para evitar moscas, cobrir o lixo com cepilho ou grama;
  4. Oxigenar a área;
  5. Após 35 dias, o material orgânico estará pronto para ser utilizado.

Economia
O lixo orgânico gerado em Lages representa em torno de 60% do volume total do resíduo urbano, enquanto o lixo potencialmente reciclável (papel, papelão, plásticos, metais e vidros) chega a 35%.

Segundo o idealizar do projeto da Udesc Lages, esse material se perde porque os moradores e o processo de coleta misturam os dois tipos de lixo. A solução, aponta Germano Güttler, é a separação e a destruição total do lixo orgânico no local onde é gerado.

Ele calcula que Lages economizaria, com a adoção do método, em torno de R$ 2,6 milhões por ano, valor que a prefeitura gasta na coleta do lixo. “Além dessa economia, muitas pessoas que vivem da reciclagem teriam um trabalho mais digno e limpo, além de evitarem doenças”, ressalta o professor. 

Para Güttler, a minicompostagem é simples e de fácil aplicação, já que pode destruir grandes quantidades de lixo orgânico em pequenas áreas, além de ser facilmente utilizada por um período indefinido de tempo. É possível produzir 400 quilos de material orgânico por metro quadrado. O método pode ser aplicado também em casa, em apartamento ou até em vasos e floreiras.

Informações adicionais
Jornalista Valmor Pizzetti
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: valmor.pizzetti@udesc.br
Telefones: (48) 3321-8142/8143

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support