Portal de Noticias

Programa vai ampliar a competitividade e o empreendedorismo das famílias rurais do Estado

Luiz Schmidt atua com a família na agroindústria de Santa Rosa de Lima e investe na produção de geleia, doce e suco de maçã e de outras variedades frutíferas. Com o apoio do Programa SC Rural, ele colocou em prática o empreendedorismo e já pensa em investir em papinha de nenê orgânica. Além disso, transformou sua antiga casa em pousada e conseguiu recursos para um novo prédio, ampliando a capacidade de hóspedes, que pode receber até 12 pessoas, divididas em dois grupos.

Foto: Saul Oliveira/SOL/ASCOM

Luiz é coordenador do Sindicato de Agricultura Familiar da cidade e foi um dos produtores rurais que participaram na tarde desta segunda-feira, 9, da apresentação do SC Rural. O evento reuniu algumas famílias envolvidas na iniciativa e apresentou os resultados conquistados pela maior política pública para o meio rural do Estado. Os participantes do programa demonstraram aos presentes os produtos gastronômicos e artesanais resultantes de suas atividades, como vinhos, licores, queijos, frutas, geleias e pães.

Famílias e jovens da região turística da Serra (Urubici) e dos Encantos do Sul (Santa Rosa de Lima) apresentaram seus produtos e serviços voltados, sobretudo, ao desenvolvimento do empreededorismo no turismo rural, como o Acolhida na Colônia. O projeto em Santa Rosa de Lima é coordenado por Rosângela B. Vanderlinde, que destaca o potencial do programa de fixar as famílias agricultoras no meio rural: “É um desafio para o agricultor desenvolver uma visão mais ampla do seu negócio e de complementar a renda por meio do turismo rural”, considera.

De acordo com Elisa de Liz, diretora de Políticas Integradas do Lazer (PDIL), em cada região turística do Estado, cerca de 60 famílias terão seus projetos turísticos melhorados e novos projetos implantados, com integração da comunidade e aproveitamento da produção local/regional. Urubici é um dos exemplos: apesar de já ter vocação turística consolidada, sobretudo durante o inverno, a cidade recebeu recursos do programa para criar um centro de informações e para pavimentar e sinalizar 13 km de estradas de acesso às propriedades rurais.

Para diversificar a economia local e regional, o programa tem um público prioritário: os jovens. Eles recebem capacitação sobre empreededorismo e inclusão digital para estimularem a permanência das famílias na terra. Andrei D. Topanoti é um exemplo disso. O jovem de 20 anos mora em Bom Jardim da Serra com os pais, que trabalham na produção de maçã e outras culturas frutíferas: “Nós aprendemos a procurar aspectos diferenciados do potencial turístico e a preservar nossos costumes culturais”, afirma.

Santa Catarina é referência em agricultura familiar e orgânica e conta, desde 2010, com o programa, que deve investir, até 2016, cerca de US$ 189 milhões para ampliar a competitividade da agricultura familiar catarinense. Desse total, 90 milhões serão financiados pelo Banco Mundial. O Secretário Beto Martins destaca o potencial do SC Rural de agregar renda às famílias por meio da cooperação para o desenvolvimento rural: “O programa ajuda as famílias a permanecerem no meio rural e a terem orgulho da vida no campo”, destaca.

O programa, que é coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, é executado de maneira conjunta por sete instituições do Governo Estadual (Epagri, Cidasc, Fatma, Polícia Militar Ambiental, Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Secretaria de Infraestrutura e Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte), em parceria com as prefeituras municipais.

Mais informações:
Ana Paula Flores
ASCOM – Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte
Fone: (48) 3665-7435

 

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support