ACN – Agência Catarinense de Notícias

  1. Início
  2. /
  3. Agricultura
  4. /
  5. Cidasc orienta criadores de...

Cidasc orienta criadores de equinos sobre a nova Portaria Mapa n.º 593/2023 para a doença de mormo

Foto: Marcelo Francisco Becher

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) publicou, no dia 30 de junho de 2023, no Diário Oficial da União, a Portaria Mapa n.º 593, que revoga e modifica dispositivos da Instrução Normativa n.º 06, de 16 de janeiro de 2018. A partir da data da publicação, o Mapa deixa de exigir o exame negativo de mormo, para trânsito de equídeos. Esta Portaria tem efeito imediato e libera o trânsito de equinos sem exame negativo de mormo, dentro do Estado de Santa Catarina e também em outras Unidades da Federação, com exceção de alguns Estados que possuem legislação própria. 

A médica veterinária da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Eleanora Schmitt Machado e coordenadora Estadual de Sanidade de Equídeos alerta que “os proprietários e transportadores de equídeos devem ficar atentos, para as legislações estaduais dos locais de destino, como, por exemplo, o Paraná, com norma estadual vigente de exigência de exame negativo de mormo. Para São Paulo é exigido ainda o atestado de ausência de sinais clínicos”, comenta a coordenadora da Cidasc.

Outra alteração desta Portaria é a nova definição para comprovação de mormo. Para ser considerado positivo para a doença de mormo, o equídeo deve possuir exames sorológico e complementar positivado para mormo e apresentar sinais clínicos compatíveis. Somente com essas condições é que o animal será sacrificado pelo Serviço Veterinário Oficial. Em seguida serão tomadas as demais medidas necessárias na propriedade.

A coordenadora Estadual de Sanidade de Equídeos da Cidasc, Eleanora Schmitt Machado, reforça que “toda suspeita de mormo, pela Instrução Normativa do Mapa n° 50/2013, deve ser notificada para o Serviço Veterinário Oficial da Cidasc, seja pessoalmente, por telefone aos escritórios, ou ainda pela internet diretamente no sistema e-Sisbravet no link: bit.ly/notificarcidasc ou bit.ly/SISBRAVET. Contamos com o apoio dos veterinários habilitados, autônomos e também dos produtores rurais, que ao identificarem sinais clínicos compatíveis com o mormo, devem notificar imediatamente a Cidasc”, enfatiza Eleanora.

Para os médicos veterinários habilitados não há mudanças. A habilitação permanece e a coleta de material pode ser realizada em animais sem sinais clínicos, por solicitação dos proprietários. 

Sobre mormo: 

O mormo é uma doença contagiosa causada por uma bactéria e acomete equídeos como cavalos, mulas, jumentos, burros e asnos e podem também passar para o homem, ou seja, é uma zoonose.

O animal se infecta pelo contato com equídeos doentes e em cochos e bebedouros contaminados. Também pode ocorrer a contaminação com o uso compartilhado de agulhas, esporas, encilhas, rédeas e freios contaminados.

Sinais clínicos de mormo: o animal apresenta nódulos (caroços) espalhados pelo corpo, que podem romper e derramar pus, corrimento com pus e até com um pouco de sangue nas narinas, inchaço de pernas ou patas, dificuldade para respirar e emagrecimento.

Atenção: O animal pode estar sorologicamente positivo e não ter sinais clínicos aparentes e recomenda-se sempre a realização dos exames para a aquisição.

Mais informações à imprensa:
Alessandra Carvalho
Assessoria de Comunicação – Cidasc
Fone: (48) 3665 7000
ascom@cidasc.sc.gov.br
www.cidasc.sc.gov.br
www.facebook.com/cidasc.ascom
https://www.instagram.com/cidascoficial/
Ouvidoria: 0800 644 8500

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support