Agência de Notícias SECOM

  1. Início
  2. /
  3. Consumidor
  4. /
  5. Cecop participa de reunião...

Cecop participa de reunião nacional que discute a falsificação de produtos que afetam a saúde dos consumidores

Nesta sexta-feira, 15, o Conselho Estadual de Combate à Pirataria (Cecop) da Secretaria da Indústria, do Comércio e do Serviço, participou de uma reunião do Conselho Nacional de Combate à Pirataria e Delitos contra a Propriedade Intelectual em conjunto com a Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades (Abifina). O encontro foi da Comissão Especial de Saúde do Conselho Nacional que discute pirataria, falsificação de medicamentos, próteses e equipamentos hospitalares, agrotóxicos, perfumaria e cosméticos. 

A reunião contou com representantes de associações, agências, fóruns e empresas e discutiu ações para o combate aos ilegais. Entre as ações, estão a realização de webinar, treinamento com entidades públicas, implementação de ações educativas e trabalhos em conjunto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária. 

O presidente do Cecop, Jair Antonio Schmitt, destaca que uma das principais discussões da Comissão é em relação ao medicamento falsificado. “Esses produtos são embalados e etiquetados indevidamente, podendo também conter alterações e adulterações em sua fórmula original. Esses medicamentos não possuem qualidade e eficiência e causam danos à saúde, com substâncias químicas sem qualquer respaldo de agências de aprovação ou controle”, destaca. 

A reunião contou também com discussões sobre perfumes e cosméticos, que são um dos principais itens comercializados de forma ilegal no Brasil. Esses produtos também causam danos à saúde como irritação cutânea, proliferação de micro- organismos, já que a pirataria se utiliza de conservantes altamente agressivos e irritantes.

Outra pauta foi em relação aos defensivos agrícolas e insumos da agricultura que, falsificados, também causam danos à saúde da população. Thais Balbao Clemente, vice-Presidente Agroquímicos, da Abifina destaca que o contrabando dos produtos, defensivos agrícolas, como agrotóxicos, se tornaram um dos maiores problemas de segurança pública em vários estados e que é um risco para a saúde da população, já que as pessoas podem consumir alimentos contaminados com agrotóxicos não regularizados. Nesses casos,  as quadrilhas costumam vender os agrotóxicos roubados a intermediários, que os repassam a outros fazendeiros e há casos em que os produtos são adulterados para ampliar os lucros. 

O secretário do Cecop, Diego Damiani, complementa ainda que é preciso atenção ao comprar produtos, principalmente os que podem afetar a nossa saúde. “Compre apenas em drogarias autorizadas e licenciadas pela Vigilância Sanitária, peça a nota fiscal, preste atenção à embalagem, ou seja, no estado de conservação e se possui número de registro da Anvisa, entre outros”, destaca.  

Texto: Pablo Mingoti

Avatar
Escrito por:

ASCOM | SICOS

Mais informações: Jornalista Naim Campos - Assessoria de Comunicação Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviço - (48) 99823-0331 - e-mail: naimcamposs@gmail.com

Ver todos os posts

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support