Portal de Noticias

Após quatro anos da tragédia de Brumadinho, Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina avança nos trabalhos em áreas deslizadas

Atuação do CBMSC em Brumadinho - Fotos: Divulgação / CBMSC

Há quatro anos uma barragem de rejeitos de minério de ferro se rompeu em Minas Gerais, no Córrego do Feijão, na cidade de Brumadinho, deixando 276 mortos e três desaparecidos. O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina se prontificou a atuar na tragédia, após sinalização dos bombeiros militares de Minas Gerais. De lá para cá, a corporação catarinense tem se especializado cada vez mais na atuação em áreas deslizadas.

Foram mais de 50 dias de suporte na missão, com 43 bombeiros militares dos 14 batalhões catarinenses, que se revezaram em quatro equipes de Força-Tarefa. Eles eram especialistas em: intervenções em áreas deslizadas; busca terrestre; comando e gerenciamento de crise; ajuda humanitária; atendimento pré-hospitalar; busca e resgate em estruturas colapsadas, entre outros cursos e treinamentos específicos, entre outros cursos e treinamentos específicos compreendidos pelos integrantes das Forças-Tarefas. Além disso, foram empregados sete binômios, três drones com pilotos, quatro viaturas de busca, um caminhão de ajuda humanitária e um ônibus.

A atividade de intervenções em áreas deslizadas no CBMSC realiza a busca e o resgate de vítimas em ocorrências de deslizamentos. Algumas técnicas foram desenvolvidas dentro da corporação e hoje são trabalhadas e ensinadas em outros estados.

Atuação em Brumadinho (MG)

Em 2008, quando houve a tragédia no Morro do Baú, em Santa Catarina, foi desenvolvida a técnica de desmanche hidráulico, derivada da mineração, e adaptada aos bombeiros. A partir do momento que a corporação passou a ter cursos de Intervenção em áreas deslizadas a técnica foi incorporada na doutrina da corporação e hoje é utilizada em diversas partes do país por corporações.

A técnica consiste na utilização da força da água pressurizada para remoção da lama. No CBMSC também são utilizadas técnicas de desmanche direto, escoramento e, atualmente, são ensinados nos cursos o resgate em trincheira, ou seja, para operações de deslizamentos em áreas urbanas, pensando em ocorrências que acontecem dentro das cidades, que é um ramo dos acidentes dentro da área de deslizamentos. O intuito é que seja construída uma doutrina para estas atuações.

Atuação das equipes em Brumadinho (MG)

Áreas complementares e materiais empregados

Além das técnicas empregadas, combinar áreas de afinidade é de extrema importância para o sucesso das operações. O uso de drones, por exemplo, tem se mostrado eficaz para mapeamento dos locais, além de trazer clareza e visibilidade. Também podem ser utilizados os helicópteros para uma visão de cima da cena, bem como para transporte de pessoas, equipamentos e suprimentos.

Outra área importante do CBMSC, associada às buscas em áreas deslizadas é o resgate com cães, ou seja, a cinotecnia. Essa área, em que atuam bombeiros militares com cães (binômios) certificados, se torna essencial em cenários de grande impacto, em que o olfato e o treinamento dos binômios é um diferencial para que se encontrem vítimas. No CBMSC os cães são certificados a cada dois anos, tanto para buscas em áreas rurais, quanto urbanas.

Outra incorporação do CBMSC nas missões de resgate em deslizamentos é o uso de miniescavadeiras na área deslizada, trazendo agilidade na retirada de escombros e rejeitos. Após a análise da segurança para a utilização do maquinário – tanto para a preservação do local, quanto para as equipes – os equipamentos passam a ser integrantes.

Cursos

Curso do CBMSC

No último ano a Coordenadoria de Busca e Resgate em Áreas Deslizadas ministrou o curso de Intervenções em Áreas Deslizadas para 60 bombeiros militares. Uma das turmas teve exclusividade para bombeiros militares de outras corporações. Participaram bombeiros de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Alagoas e Paraíba.

Hoje a corporação acumula experiências no território catarinense, uma vez que as condições climáticas do estado trazem acúmulo de chuvas e os deslizamentos acabam se tornando frequentes, como o último ocorrido na cidade de Rodeio. Além disso, os bombeiros militares foram acionados para apoio em ocorrências em Recife e Petrópolis (2022).

Para fazer parte de uma equipe de Força-Tarefa o Curso de Intervenções em Áreas Deslizadas é um dos requisitos.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support