ACN – Agência Catarinense de Notícias

  1. Início
  2. /
  3. Segurança Pública
  4. /
  5. Delegacia de Combate a...

Delegacia de Combate a Estelionatos registra 2,7 mil boletins de ocorrência em dois meses de atuação na Capital

Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Em 65 dias de atuação, a Delegacia de Combate a Estelionato (DCE) da Capital, órgão da Diretoria de Polícia da Grande Florianópolis (DPGF), registrou 2,7 mil Boletins de Ocorrência. De acordo com os delegados que atuam na DCE, Osmar Carraro e Paulo Hakim, o prejuízo causado pelos estelionatários às vitimas, só em Florianópolis, chega a aproximadamente R$ 20 milhões. A atuação qualificada dos policiais civis da DCE resultou na recuperação de R$ 450 mil e no bloqueio judicial de R$ 2,5 milhões.

Para a delegada Michele Alves Correa Rebelo, diretora de Polícia da Grande Florianópolis, disse que a Polícia Civil detectou a demanda, em razão do aumento de registros policiais envolvendo estelionato. “Esses criminosos que antes aplicavam golpes de forma presencial, ou com papel, migraram do meio físico para o virtual. Essa mudança exige um conhecimento técnico qualificado, um investimento em tecnologia, para que nós possamos, então, apresentar resultados com eficiência”, assinalou a delegada Michele Alves Correa Rebelo.

No ranking dos golpes aplicados, o mais comum é o do falso banco; falso parente; sites falsos; golpe do pix; Instagram e Facebook; pirâmide, OLX; passagens; sextorsão (nudes), entre outros.

Importante ressaltar que a DCE não faz o atendimento direto ao público. O cidadão que for vítima de estelionato poderá registrar o Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima ou pela delegacia virtual (clique aqui).

Dicas para se proteger de golpes

1. Não faça depósitos/transferências a parentes ou terceiros sem se certificar de que se trata do efetivo destinatário; contate a pessoa por outra via se necessário;

2. Cuidado ao realizar negócios com pessoas que pedem sigilo por motivos diversos – pode ser golpe;

3. Ao acessar sites de leiloeiros, certifique-se de que se tratam dos sites oficiais (há muitos sites fraudulentos);

4. Redobre a atenção com negócios realizados via internet, tanto em marketplaces quanto em relação a investimentos – antes de investir, certifique-se de que a empresa é credenciada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM); (inserir link)

5. Não forneça senhas ou dados pessoais a atendentes bancários por telefone – os bancos não ligam pedindo tais informações;

6. Caso receba ligações de supostas centrais de segurança de bancos, não repasse informações e procure sua agência ou uma delegacia de polícia para orientações.

Mais informações à imprensa:
Jacqueline Iensen
Assessoria de Comunicação – DG/PCSC
Fone: (48)  9 9175-2336
imprensa@pc.sc.gov.br

Avatar
Escrito por:

ASCOM | PCSC

Assessoria de imprensa da Polícia Civil de Santa Catarina

Ver todos os posts

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support