Portal de Noticias

  1. Início
  2. /
  3. Radio
  4. /
  5. Balanço de Gestão :...

Balanço de Gestão : enfrentamento à pandemia de Covid-19, pagamento da dívida e aumento do número de leitos de UTI marcam a gestão Moisés na Saúde

Os melhores resultados no enfrentamento da pandemia de Covid-19 do Brasil, o pagamento da dívida da Saúde, a implementação da Política Hospitalar Catarinense e o aumento da oferta de leitos de UTI são conquistas que marcaram a gestão Carlos Moisés na Saúde.

No início do governo, em 2019, a dívida do Estado com fornecedores, hospitais terceirizados, cofinanciamento e ações judiciais era de cerca de R$ 700 milhões. Com a redução da máquina pública e a revisão de contratos, em pouco mais de 12 meses o valor foi quitado, o que permitiu aumentar os investimentos na área.

Para o secretário de Estado da Saúde, Aldo Baptista Neto, o pagamento da dívida foi fundamental para ter os recursos disponíveis para o enfrentamento da pandemia:

SONORA

Além da ampliação do número de leitos de UTI, a rápida distribuição das vacinas feita pelo Estado também foi fundamental para salvar vidas, como ressalta o diretor da Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, João Fuck:

SONORA

Para levar os serviços de Saúde para mais próximo do cidadão e integrar a rede hospitalar o estado, a gestão Carlos Moisés criou, em 2019, a Política Hospitalar Catarinense (PHC), com o objetivo de dar mais qualidade e ampliar de forma regionalizada o acesso aos serviços prestados pelo SUS no estado.

Foram estabelecidos critérios técnicos e objetivos para o repasse de recursos para instituições filantrópicas, municipais, unidades próprias e federais.

Os recursos aplicados aumentaram de R$ 312 milhões para R$ 620 milhões, e podem ser usados para custeio, manutenção e investimento previamente aprovados.

Outra ação importante da gestão Moisés foi o aumento do total de UTIs pediátricas e neonatais em 2022 para atender à demanda por leitos para crianças com doenças respiratórias, o que sobrecarregou os hospitais.

Com o decreto de emergência que vigorou entre 3 de junho e 3 de agosto deste ano, foi possível abrir 121 leitos infantis em 15 unidades hospitalares. O investimento chegou a R$ 150 milhões no período.

Em 2018, havia 233 UTIs pediátricas e neonatais, atualmente são 350. Para trabalhar com os novos leitos, também foi ampliado o quadro de profissionais. No Hospital Infantil Joana de Gusmão (HIJG), em Florianópolis, por exemplo, foram contratados 82 médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Foram retomados, ainda, os atendimentos na emergência pediátrica do Hospital Regional de São José (HRSJ), com 64 novos profissionais contratados.

A Secretaria de Estado da Saúde também investiu recursos na estruturação dos atendimentos nos municípios, com ampliação de horários dos postos de saúde, contratação de pessoal e campanhas de vacinação.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support